Últimas Notícias

Tomb Raider: A Origem - o filme é quase como jogar o game na tela do cinema



Tomb Raider – A Origem traz dos mundo dos jogos de video game a história de uma jovem aventureira que, após achar algumas pistas que podem levar ao motivo do misterioso sumiço de seu pai anos atrás, resolve sair em busca de respostas no maior estilo "caça ao tesouro". O mapa então a leva até uma antiga tumba em uma ilha distante na Ásia e chegar lá não é uma tarefa nada fácil, até mesmo para essa inteligente e habilidosa garota. Nessa nova versão acompanhamos uma nova Lara Croft: menos sensualizada e muito mais humana, chegando muito próximo da realidade (podemos encontrar várias meninas no mundo real semelhantes a essa guerreira interpretada por Alicia Vikander).


Desde o início, o filme me lembrou demais a estrutura dos games, me fazendo mergulhar nessa bonita relação entre pai e filha, me estimulando a resolver os mistérios em cada fase desse "game cinematográfico" e me fazendo querer pegar logo um controle remoto para ajudar a Lara em suas missões (porém com um único pesar de não ter mais de uma vida para poder arriscar mais nos desafios).

Já a vencedora do Oscar Alicia Vikander começa muito bem no seu papel de protagonista, porém quando a situação começa a causar uma maior preocupação, nos deparamos com uma mesma expressão de sofrimento na cara da atriz até o fechamento da trama (inclusive quando os acontecimentos chegam ao limite, sua feição continua a mesma, não transmitindo a real seriedade que a cena exigia). 


O longa metragem pode não ser uma nova grande obra prima do cinema, mas também não era isso a sua proposta, entregando assim um excelente entretenimento, uma história coesa, uma narrativa bem empolgante, cenas de ação eletrizantes (o 3D é bem dispensável) e se portando muito fiel aos games (dá para investir em diversas sequências fácil fácil).

Por fim, ainda nos deparamos com uma bela referência a antiga Lara Croft de Angelina Jolie e dos jogos do passado, colocando um sorrisinho no rosto daqueles fãs que sempre estão atentos a essas cenas. Ao sair da sessão de cinema, Tomb Raider: A Origem nos causa aquela incrível sensação de "zerar" um game em apenas duas horas, nos fazendo querer “jogar” muito mais e logo querer adquirir a sua sequência.

Nenhum comentário